quarta-feira, outubro 31

Não mereces mas..

«Cada regresso teu faz-me acreditar que afinal nunca te foste embora, que o tempo é a coisa mais relativa do mundo e que não é a distância que afasta as pessoas quando nasceram para se encontrar», apesar de não ter nada que te agradecer, parabéns e obrigada pela paciência que tens tido comigo nos últimos tempos. 
A verdade é que se não gostasses realmente um bocadinho de mim, eu no teu lugar já me tinha mandado pró outro lado do planeta, com a boca selada para nunca mais poder dizer porcaria. Mas eu não tenho nada que te agradecer por isso, pelo contrário.. 
Mas obrigada. Obrigada porque o meu bem estar está em estar contigo.
Até já *

domingo, outubro 28

De mal o menos


http://www.youtube.com/watch?v=BDsuR22GQPQ

E agora olho para esta foto em modo de rescaldo de tudo isto e não me sinto tão estúpida. Na verdade não nos devemos sentir mal por o mal que os outros nos fazem. Apesar de tudo foram eles que não souberem respeitar as regras de um ser Humano com princípios e devem ser eles a sentir isso na pele. Os rótulos ficaram colados na testa daqueles que nos carimbaram a vida pela negativa e se não formos burros, como eu infelizmente ainda sou, não voltamos a querer alguém assim na nossa vida. 
O que vai estragar todo este raciocínio é o coração, essa máquina de merda que nos troca as voltas todas; nos faz sentir borboletas quando no fim de contas se tratam de pontapés no estômago,  tremer as pernas de nervoso quando no fundo se trata de raiva, sorrir espontâneo quando só nos apetece chorar. Sim, é isso mesmo. Somos nós a dizer que não e ele a expulsar sims da nossa boca...

Naquele dia o que eu sentia é que precisava de um abraço apertado,
a minha boca, essa.. nunca mais te queria ver. 

Era a cabeça a pensar e o coração a sentir.

quinta-feira, outubro 25

Parabéns

"Eu não me esqueci. Desde o primeiro minuto do dia que estou a pensar no que te hei-de dizer porque nestes dias devemos sempre dizer coisas boas e hoje não me sinto capaz de o fazer. Se soubesse o que sei hoje talvez nunca tivéssemos chegado até aqui ... há um mês pensei mesmo que nunca mais te ia escrever esta mensagem, que nunca mais íamos estar juntos e que mais valia perder tudo aquilo a que dou valor a viver na dúvida. E foi mesmo aí que percebi o quanto te amo por não o conseguir fazer. Por isso decidi juntar numa caixa os nossos melhores momentos, e pensar realmente que se nenhum de nós lutar por nós nunca ninguém o irá fazer.Espero que olhes para ela como eu, e que cada vez que tudo parecer não ter volta a dar te lembres que quando também eu pensava assim o amor falou mais alto. Parabéns amor maior, amor melhor. Amo-te."

Eu contigo,
Tu comigo,
O resto é para trás das costas.



....Because «A relationship is only for two, but some bitches don't know how to count»

(Dois anos e Quatro meses)

sábado, outubro 20

Felicidade relativa




As coisas mudam, as pessoas não. As pessoas moldam-se às coisas e às outras pessoas, às situações e aos sentimentos. Mas a essência mantém-se. 
Por isso é que me custa acreditar em promessas de pessoas que me feriram o ego e a alma. Por isso é que me sinto estúpida ao fazê-lo. É o mesmo que gostar de brincar com o fogo; saber que queima e continuar a querer meter lá a mão. Mas no amor isso acontece. E no fundo lisonjeio-me por conseguir ter o sangue frio, a força de nunca desistir daquilo em que acredito e de amar mais e com força, até quem me faz mal. Porque já não vejo pessoas assim e gostava de ver mais. Acho que se não houver perdão, uma vez por outra, desculpas pedidas no momento certo e a coragem de dar  novas oportunidades a pessoas que nos fazem falta, o mundo não se irá tornar melhor. Também eu tenho orgulho e gosto de manter a minha dignidade. Mas não é isso que me faz feliz. Por isso é que me sinto estúpida, porque também a felicidade às vezes o é e eu só me quero moldar a ela.
E neste momento ela és tu

Ao som de http://www.youtube.com/watch?v=ybwOi2wA2bQ&feature=related 

Querida Sara,


Tenho uma coisa importante para te dizer, mas não sei como dizê-la.
Porque o que é realmente importante nunca será isto, mas sim o que se sente e, especialmente, a sua essência. Tu vais perceber isso, porque no fundo somos mulheres, iguais, e quem melhor que tu para perceberes a imensidão das minhas palavras que descodificas à anos sem grandes esforços.  

Quantas  pessoas se podem vangloriar de ter alguém como tu ao seu lado? Muito poucas. Mas creio que todas elas vão concordar comigo, porque todas elas vão fazer das minhas as suas palavras. No outro dia pus-me a pensar a quem é que eu ia ligar ás tantas da noite a contar o episódio do momento, a bomba do dia, a cusquice do instante. A quem é que ia chamar nomes para me acalmar num momento de raiva, de desgosto. A quem contava os podres do meu dia, as vitórias da semana, as frustrações do mês. Quem me diria que estava tão bem vestida quanto um sem-abrigo ou pronta para deixar o brad pitt a meus pés; que estava a exagerar ou a ser piegas..
No outro dia, que é como quem diz todos os dias, estava a pensar como poderia eu ter enveredado pelos caminhos que segui se não fosses tu sempre lá, pronta para dar o abanãozinho, a palmada nas costas, o abraço, a chapada sem mão.. e cheguei à conclusão que nada tinha sido igual. 
Ontem fiquei aqui. É a vez de inverter os papeis, e apesar de ser justo, não gosto nada desta ideia de te ter do outro lado do mundo, porque gosto muito de ti e fazes-me falta todos os dias, mesmo que não estejamos juntas. 
Aguardo-te sempre. Desejo-te o maior sucesso, acima de tudo. E apesar de saberes que por mim não ias para esse outro planeta, no fundo há algo em mim pronto para te dar o empurrãozinho para que a vida te sorria e faça de ti a melhor - que já és - para além dos meus olhos.

Um beijo,
PAT

(Tive um ataque de saudades tuas, por ser Outubro e a feira sem ti nunca ser a mesma coisa. E sim, fotos juntas é mentira!)

quarta-feira, outubro 17

à Sorte

Mais tarde ou mais cedo percebemos até que ponto as pessoas estão dispostas a ir para mudar a posição que têm na nossa vida, seja para o bem ou para o mal. Ao longo do tempo aprendemos a separar «o trigo do joio» e se primeiro damos o benefício da duvida, depois já nada nos faz mudar de ideias. A não ser que haja factores extremamente fortes que nos façam realmente pensar se valerá ou não a pena. Penso que já não é altura de espremer factores para que haja desculpas para terceiras e quartas oportunidades uma vez que no amor não se compram raspadinhas na esperança de poder ter mais uma sorte. No amor não há sorte. Há entrega, verdade e dedicação. Ponto final.

terça-feira, outubro 16

coragem


Poucos têm a coragem de mostrar o que efectivamente são e gostam; e os que têm, normalmente, são vistos como loucos. 
Pobres de espírito aqueles que olham com desdém para aquilo que gostavam de conseguir também...

domingo, outubro 14

Toma lá dá cá


E depois de tudo vem o medo, a insegurança, os ciúmes. A incapacidade de controlar as piores emoções que o coração oferece ao ser humano, aliadas ao amor incondicional e às saudades infinitas que nos unem a alguém. 
Infelizmente apercebo-me só agora da triste realidade do amor entre pessoas do sexo oposto. Aplicamos constantemente a jogo do "chega para lá" ao achar que temos a faca e queijo na mão - pensando que ele/ela nunca se há-de fartar das nossas atitudes - e, quando levamos com os pés, cá estamos nós, a rastejar por quem mais nos faz falta, a redimir todos os nossos momentos de superioridade e a rebaixar-mo-nos em nome do amor que sentimos por alguém que um dia disse basta e partiu para outra. 
Um dia escrevi que o amor não é um saco de boxe e tê-lo como aliado nas nossas vidas era das melhores coisas do mundo; hoje mais que nunca me auto-subscrevo, por tudo o que de bom e de mau se tem passado.

sábado, outubro 6

ventos bons

 
Depois da tempestade vem a bonança, dizem os mais velhos em tom esperançoso quando tudo parece correr mal.Também eu quero acreditar nisso. Na verdade todas as mulheres querem ser acordadas com um beijo de bom dia e adormecidas no embalo de um abraço apertado, com os pés bem quentes; ter alguém que fique a olhar para nós, nos apague o candeeiro e nos aconchegue as mantas pela noite dentro... De hà dois anos para cá que tenho essa sorte. Sorte essa dissimulada. Dissimulada por outras coisas mais, menos boas, nada boas, que não interessa agora referir. Queria singir-me apenas às coisas boas... para poder também acreditar que se de tempestades tem andado a minha vida feita, talvez os ventos da mudança estejam para chegar.

segunda-feira, outubro 1

Quem nos faz falta

Confiança
s.f. Esperança firme em alguém, em alguma coisa; Sentimento de segurança, de certeza, tranquilidade, sossego daquele que confia na improbidade de alguém;Dar confiança, dar importância a alguém, permitir intimidade.


Magoa. Não posso dizer que não. Um dia estamos a passar a nossa vida de mão beijada a alguém, com tudo o que temos de melhor para dar, com todos os nossos esforços, dedicação e amor. No outro, podemos ver tudo isso a escorrer-nos pelas mãos.
Todos sabemos o quão bom é o sentimento de termos alguém ao nosso lado, do nosso lado, pronto para o bem e para o mal.. e quando acreditamos fielmente nisso, nenhum de nós pensa que isso um dia pode mudar. Porque nenhum de nós quando está feliz quer mudar isso - trocar tudo o que nos faz realmente bem por o incerto e inseguro. 
Mas nem tudo corre como esperamos. Se num dia somos donos da razão, no seguinte podemos estar a ser espezinhados por ela. No amor isso acontece.
Eu acredito fielmente que as pessoas nunca se amam na mesma medida, pelo menos em simultâneo. Não digo que ambas as partes não sintam o mesmo, mas a intensidade com que tudo acontece tem pesos diferentes na vida das pessoas. É por isso que nem sempre se dá valor ao que temos ao nosso lado, a não ser quando corremos o risco de perder quem realmente faz falta na nossa vida.