quarta-feira, outubro 17

à Sorte

Mais tarde ou mais cedo percebemos até que ponto as pessoas estão dispostas a ir para mudar a posição que têm na nossa vida, seja para o bem ou para o mal. Ao longo do tempo aprendemos a separar «o trigo do joio» e se primeiro damos o benefício da duvida, depois já nada nos faz mudar de ideias. A não ser que haja factores extremamente fortes que nos façam realmente pensar se valerá ou não a pena. Penso que já não é altura de espremer factores para que haja desculpas para terceiras e quartas oportunidades uma vez que no amor não se compram raspadinhas na esperança de poder ter mais uma sorte. No amor não há sorte. Há entrega, verdade e dedicação. Ponto final.

Sem comentários:

Enviar um comentário