terça-feira, novembro 6

esqueci-me de mim


Começou oficialmente aquele período em que os dias passam e em que só me lembro que existo quando dou por mim deitada na cama e olho o relógio a contar o último minuto do dia. Parece mentira. 
Sinto-me exausta. Sinto-me exausta só de pensar que tenho que acordar amanhã de novo e esquecer-me que debaixo desta pele que se mexe e auto-comanda também existe alguém, que pensa, tem sentimentos e amor a outras coisas às quais não dedica tempo, porque o tempo lhe escorre pelas mãos. 

Odeio estes dias. Acordo-lhes com um ódio que me deito quase sempre mais dois minutos num momento de auto-negação, na esperança de ser um sonho e não ter que voltar a repetir um «Aii naaoo!» com a cabeça metida na almofada, os pés já fora da cama e os olhos cerrados de tédio. 
Mas a vida é mesmo assim, não é?

Se amanhã acordar com o mesmo pensamento, vou-me levantar mais rápido que nunca, olhar-me ao espelho e pensar: Sacrifios hoje, Beneficios amanhã. E talvez me deite de novo esquecida de mim e do que efectivamente me faz falta, mas sabem que mais?

Amanhã será sempre outro dia. 

1 comentário:

  1. Conheço bem esses dias. Essa rotina quase monótona e desgastante. Sacrifícios hoje e benefícios amanha parece-me um bom lema ;)Obama acordava as 4 da manha para estudar e hoje é o que é. Não desistas *

    KK.

    ResponderEliminar