terça-feira, janeiro 8

Olá 2013,

E mais um ano se passou. Estava ansiosa que acabasse. Foi o pior dos últimos tempos. Não o repetia por nada deste mundo, a não ser os momentos que guardei numa caixinha; num lugar melhor, a que nunca vou querer chamar dois mil e doze para não os confundir com aquilo que me deu golpes nas costas e me cortou a respiração. 
Muitas foram as "morais da história" que retirei dele. E esse é apenas o lado bom de tudo o que me aconteceu de mal e que continuarei a partilhar com aqueles que me querem bem. 

Continuarei a defender o amor puro, as relações duradouras, a luta pelo que vale a pena, pelo que nos faz sentir vivos e por quem nos oxigena o sangue que nos corre nas veias. Para mim, isso é o mais importante da vida e é o que quero, acima de tudo, para mim. Não procuro dinheiro e uma família de merda, nem um grande carro para não ter com quem passear nele. Sonho com coisas simples. Mas complicadas nos dias de hoje. 

No último ano percebi que devemos dar tudo por quem está ao nosso lado, no momento. Que ninguém é um dado adquirido e que o que hoje está nas nossas mãos amanhã poderá estar contra nós. Que a razão é de quem a tem, não de quem a pensa ter. Que o amor é mais forte que a traição, quando é verdadeiro. Que desistir de quem amamos não deve ser opção; nunca saberemos o que ela tinha de melhor para nos dar. E na melhor das hipóteses, percebemos que ainda não nos tinha dado nada de especial. Que a vida é uma constante e que o melhor de tudo é acreditar. Acreditar que as coisas vão mudar. E que se não mudarem, o destino é a luz ao fundo do túnel. 

"O amor é a força mais poderosa do universo, e quando duas pessoas se amam, nem a distancia nem o tempo podem separa-las"

Que 2013 seja memorável! 


Estou de volta,
Pat

Sem comentários:

Enviar um comentário