terça-feira, abril 30

Filmes

Ia jurar que ele ainda gosta dela, à sua maneira, ainda que seja estranha; que nunca a esqueceu nem nunca teve a coragem de eliminar o seu número de telemóvel. Ele gosta dela nas entrelinhas da crítica, no adeus dos encontros relâmpago, nas mensagens que recebe quando não espera, nos filmes românticos que vê com outras e nos dias em que a vê a ser feliz longe dos seus olhos. Ele não a ama. Há muito tempo que separou as águas. Há um bichinho dentro dele que acaba por o levar onde ele por vontade própria não quer estar, não quer ir; que lhe fala dela, lhe diz como está, com quem está e onde anda.. e talvez lhe pudesse chamar facebook, mas eu prefiro dizer que é o destino. Eu acredito muito no destino - as pessoas parvas, como eu, tendem a fechar os olhos às evidências e com os pés assentes na terra, preferem acreditar no inacreditável.  
Ia jurar que ele ainda gosta dela. As pessoas procuram sempre o que lhes faz falta e negam sempre fazê-lo. A verdade é que não lhe escapa nada e o destino ainda não virou mosca atrás da porta. 
Talvez não goste. 
Se calhar ela é que tem a mania. Ás vezes também acontece. Estas gajas de hoje em dia com a mania da perseguição fazem com cada filme. 
Mas no fundo, eu vi nos olhos dele, acho que ela tem razão. 

Patrícia Luz 
música - sim rui, viciei-me!


Este fim de semana fui à terrinha. Já tinha saudades. Foi bom! Obrigada pela comidinha boa e por me fazerem ir para o ginásio no feriado. Amanhã faço um upload de algumas fotos. Beijinhos, Pat

segunda-feira, abril 22

Etapas

Etapas. Toda a vida tem as suas. Atrevo-me a dizer que a cada pessoa define as suas. Há três anos, em Setembro, lembro-me de ter entrado nesta que devia ser a melhor da minha vida com o espírito de que poderia tornar-se no maior pesadelo. Foi difícil. Foi difícil aprender a viver sem as pessoas que tinha como certas ao meu lado, foi difícil  querer que era aqui o meu lugar quando tudo o que mais queria era voar daqui para fora. Dei muitas vezes por mim a dramatizar o futuro, a querer ter o passado nas mãos todos os dias. Porque apenas me revia nele. Hoje acho que nada nos deve prender com certeza, muito menos o passado.  Ás vezes são coisas do destino. E ainda bem que ele existe, creio eu. 
Hoje, sento-me deste lado e depois de olhar para estas fotos sinto-me muito mais tranquila. Ter ficado aqui talvez tenha sido o melhor. Tenho a certeza que fiz amigos para a vida, que nunca vou esquecer por se terem tornado mais do que uma família; uma família forte. Forte mesmo. Há uma grande diferença entre a Universidade do Algarve e as outras, dos grandes centros metropolitanos, como Lisboa e Porto. Aqui cultiva-se muito mais do que a mente. Educam-se valores para a vida, o espírito de entre-ajuda é notável (o que não oiço dizer por outros lados), a casa de um é a casa dos outros e nunca é tarde para andar na rua. O calor é um motivo de união porque a praia é aqui ao lado e a chuva também, porque o nosso traje é impermeável e bem quentinho. Os arraiais são uma festa e as quintas feiras vão sempre dar ao mesmo lugar. Mas o que importa é fazer sempre cada momento único com aqueles que nunca nos deixaram.

Por tudo isto, penso que quando entrar numa nova etapa, vou dramatizar novamente o futuro e querer o passado nas minhas mãos todos os dias. Vão-me fazer falta!

Um especial obrigado à Rute Pereira e à Filomena Raimundo por desde a primeira semana me terei feito ver tudo isto com outros olhos. Ao meu padrinho, Ivan Gomes, por me ter feito começar a adorar as praxes e ter uma visão mais aberta de muitas outras coisas. Ao João Viegas, ao Samuel, ao Rúben e ao Henrique por serem os melhores companheiros. E a mim, por insistir, resistir e persistir, quando tudo deu para o torto.

Era uma vez Gestão...

















sexta-feira, abril 19

Desisti

Eu queria escrever algo que ontem me estava a fervilhar nos dedos, mas as coisas - que é como quem diz a maquineta com a mania que manda na vida das pessoas - amainaram e a intensidade não seria a mesma. Por isso desisti. Há dias assim. Há muitos dias assim. 


Deixo-vos com esta música na qual estou viciada e que merece ser difundida bem como as fotos do meu dia de hoje e de ontem. Oficialmente, Férias... até que cheguem os exames. O que significa mais tempo para o vaificartudobeem :)








Primeiro dia de praia. Apresentação de Empreendedorismo. Frutinha ao pequeno almoço. Bikinis novos. Segundo dia de praia.Caracóis




segunda-feira, abril 15

Este é para meninas

Borbulhas. Borbulhas é o tema de hoje. 
Daqui a uma semana haverá o evento do ano. Para que tudo esteja perfeito ela preparou as coisas com antecedência: escolheu os sapatos para ter tempo de treinar pela casa o modo correcto de andar com eles nos pés, para não fazer figuras tristes na hora h tropeçando em pedras imaginarias nem ter que os substituir pelas sandálias rasas do verão passado para aguentar a noite toda, comprou o vestido na loja inimaginável para que ninguém tenha igual, mandou fazer a bijutaria para salvaguardar qualquer imitação no resto da indumentaria tendo o trunfo na manga do "pelo menos isto ninguém tem igual"; Desenhou a maquilhagem a semana passada, pintou as unhas e escolheu a melhor pochette. Experimentou tudo de novo para garantir que era aquilo que iria usar e que não ia mais mudar de ideias. 
O que ela ela se esqueceu foi de ordenar às hormonas que se acalmassem durante os próximos tempos. E boing! A geografia do monte Everest mudou-se exactamente para o meio da testa. E coitada, não houve antecedência, nem cor de unhas que lhe valessem. Adeus ao vestido mais giro, ao andar elegante e às pedras preciosas sem igual. Nada disso substituiu o olhar atento dos críticos de serviço. 



E ela podia ser eu. Que tendo a ter uma sorte do caraças no que toca a hormonas aos saltos em vésperas de datas em que a cereja no topo do bolo faz toda a diferença; e como típica mulher não perco a oportunidade de abrir a cara para obras numa tentativa de socorrer o que ainda me resta. 
Que sorte! O que vale é que conseguimos sempre fazer pior..
Enfim, Cenas de gaja!



(Este texto foi inspirado numa conversa de várias raparigas e contém um bocadinho de cada. Espero que elas não me levem a mal :p )

sábado, abril 13

Fio condutor

Ela ama-o em silêncio. Jamais alguém saberá o que ambos sentem um pelo outro, porque nem eles próprios sabem bem. Ás vezes, um mais um torna-se numa soma complicada. Infelizmente, há algumas pessoas que não aprenderam a contar. E ela será sempre uma delas, cuja resposta sem qualquer hesitação será "um". "Um" de corpo e alma, dos pés à cabeça e da cabeça aos pés. "Um" por inteiro. 
Ela ama-o. Revivi-o em todas as musicas que ouve, encaixa-o nas entrelinhas do que lê e identifica-o em todas as fotos que tirou sem ele, por o ter todas essas vezes no pensamento. Quando chega todas as noites à cama, sonha acordada com o dia em que voltarão a estar juntos a sós, como da primeira vez em que ligaram o seu coração com um fio condutor que ainda não arrancaram do seu corpo por falta de coragem. Ela ama-o. Antes de sair de casa, põe o perfume que ele lhe ofereceu e veste a roupa que usava no dia em que se apaixonou. E embora ele não se lembre de nada disso, ela esperará em silêncio o dia em que se faça notar a sua falta, no ecoar daquela musica, naquele lugar que não era deles, mas é como se fosse. 
Ele ama-a. 
Eles não estão juntos. Ambos pensam o mesmo. Ambos esperam; em silêncio.



sexta-feira, abril 12

Façam-me um favor: sejam felizes hoje.

Nós somos uns atrasados mentais com a mania que sabemos tudo sobre a vida. Falo por mim. Falo por mim para não meter o vosso nome ao barulho em vão. Porque na verdade eu acho que somos mesmo todos uns atrasados. Deixamos tudo para depois. Tudo o que podia ser o mais importante naquele momento para nós ou para os outros. O beijo roubado, as desculpas pedidas - quando o devem  ser -, o abraço com que se sonhou acordado na noite anterior quando deitámos a cabeça na almofada e o sono nos deu tréguas, o telefonema que ansiávamos receber mas que não fomos capaz de fazer, o orgulho a cima de todos os sentimentos, a vingança primeiro a compreensão dos actos depois... que merda! Será que ninguém é capaz de viver com os pés assentes no presente? No presente! Sem pensar no antes nem no que virá a seguir? Fazer tudo o que nos passa pela cabeça no momento. Beijar, abraçar e pedir desculpas. Dizer que não se gosta, que se adorou e que se quer mais! E ter mais! Ali, aliás, aqui! Aqui e Agora!

Ás vezes é bem feita que ela nos pregue umas partidas para nos mostrar quem manda. Nessa altura surgem os remorsos. "O que poderia ter feito" "O que devia ter dito" "O que ficou por dizer"... A vontade que ficou de algo que passou e não volta mais. 
Por isso, façam-me um favor, sejam felizes, hoje!



Queria deixar um especial beijinho de Parabéns à minha prima Mónica com votos de que a vida lhe sorria tanto como nós sorrimos hoje. Porque tudo o que quisemos fazer, não deixámos para amanhã. E a vida é isso, mesmo com atrasadas mentais como nós.





terça-feira, abril 9

um à parte

Há uma coisa que ando há imenso tempo para esclarecer e que tenho deixado passar em branco. Vou aproveitar hoje que a minha cabeça está feita num oito - e o coração também - para me deixar de babuzeiras melodramáticas, como é costume, e vos elucidar esta ideia. 
Quando escrevo, escrevo sobretudo para mim, para mim e para o meu bem estar pessoal; Assim como o surf já foi, esta é hoje em dia a minha terapia. Eu chamo-lhe assim, porque nos últimos tempos é o que me tem valido. Na verdade esta foi a forma que encontrei de fazer o balanço dos meus dias e parecendo que não há muitas atitudes ponderadas quando me sento deste lado e penso nas burrices que cometi ou nos actos de que me orgulho. Penso que toda agente devia fazer este teste a si mesmo. Contudo, muito dos assuntos que vêm parar ao meu blog não dizem apenas respeito a mim e muitas das vezes são meras histórias do além que me vêm ter à cabeça um bocado de pára quedas. Não tentem por isso, os mais cuscos, vir aqui encaixar-me nas entrelinhas e sugar-me as entranhas, porque muitas das vezes passo minutos e minutos a tentar encaixar-vos a vocês nelas e a expor aquilo que não vêem em vocês mesmos. Passa tudo um pouco pelas minhas vivências associadas ao que observo no meu dia a dia, nas atitudes das pessoas, em comportamentos que uns têm para com os outros, mesmo que eu e os meus conhecidos não façam parte da cena em questão. Claro que em tudo há um pouco de mim. Assim como em Álvaro de Campos haverá sempre um Fernando Pessoa e vice versa. 

Obrigada pelo feedback que nem têm deixado nos últimos dias, mesmo que em anónimo. Como disse um dia "a palavra é como um pau de dois bicos" e é sempre bom saber que conto com alguém desse lado. Um beijo,
Pat



segunda-feira, abril 8

Um dia; um adeus para sempre.

Um dia...
Vais perceber que ela não te tirava da cabeça a cada segundo e que os dias demoravam séculos a passar só para te ver. Que as horas em que te divertias com outras, ela passava a olhar para o telefone à espera que te lembrasses dela. Que quando te desejava boa noite e tu adormecias no minuto seguinte, passava horas a ler os arquivos de mensagens de há dois anos as quais tinhas apagado uma semana depois e cujas não lembrarias mais. Que quando não te respondia às mensagens uma hora depois estava empenhada a estudar para que o verão tivesse três meses e não apenas um, perto de quem mais amava. Que quando ficava a dormir quando ias sair com os teus amigos, o mealheiro estava a crescer para estar bem perto de ti depois. Que quando todas as amigas iam às compras, ela vestia a moda o ano passado porque achava não precisar de agradar a mais ninguém além de ti. 
Um dia vais perceber que ela não era igual às outras. Maníaca por sexo, copos e rock&roll, que se vendia a troco de uma noite louca que no dia seguinte não ia mais lembrar. Ela trocava as noites de sábado perdida por entre o fumo dos cigarros, pelo quentinho da lareira ou uma mesa rodeada de amigos e boa música ambiente; as noites entregues às luzes da ribalta, pela lua como candeeiro e o mar como fundo. O rímel de um olhar falso pelo brilho natural que os olhares apaixonados tendem a ter. 
E nesse dia, desejo que não tenhas assentado os pés no chão e esperes pela mensagem dela num desses bares com música ambiente, enquanto os teus amigos foram sair. Quem sabe não aparecerá com alguém melhor que tu e a tenhas perdido, quem sabe, para sempre. 
(Na verdade, mulheres inteligentes não são burras para sempre.)





sexta-feira, abril 5

Tretas e Pessoas

Não tenho paciência para tretas. Coisas da treta, conversas da treta, comidas da treta e, especialmente, pessoas da treta. E não pensem que são poucas as que conheço, as que aturo e que tenho que gramar, especialmente ao almoço de sábado; o que vale é que é o típico dia em que durmo até ao meio dia e como normalmente vou para a mesa de olhos meio fechados não reclamo muito. 
Eu não gosto de pessoas com mania. E não falo de pessoas com mania só porque usam malas da channel ou sapatos xpto; na minha opinião isso não define a mania de ninguém, porque se eu tivesse uma pipa de massa fazia o mesmo, apesar de gastar uma parte dela a comprar sacos de rebuçados para os "meus" meninos da casinha cor de rosa - Refúgio Aboim Ascenção - por isso me fazer bem mais feliz. Mas isso sou eu. Eu falo daquela mania que se reflecte nas frases, na postura, no nariz empinado, no rabinho a dar a dar. Eu sei que vocês sabem a que me refiro e aposto que conhecem alguém de quem se vão lembrar neste momento. Tenho pena que a humildade não se faça notar mais.
São tão mais bonitos aqueles que se sabem ajoelhar perante as aparências e conseguem ter uma palavra de apreço e conforto para com todos aqueles que os olham de baixo para cima. 

«Não subestime ninguém,
Trate sempre com respeito.
A vida é uma dança das cadeiras;
um dia sentado; noutro, de pé.»
Fabricio Carpinejar 






Não tarda estamos de férias e repetimos a jantarada. Henrique B'day

quinta-feira, abril 4

um mal nunca vem só


Quando tudo está mal, o pior ainda está para vir. Parece que os astros se unem contra nós. Contra nós, contra os nossos, contra tudo e mais qualquer coisa.  
Há uma força que se une para nos tramar. (Só pode!)
Às vezes ficamos sem chão. Outras com o coração nas mãos e com os pulmões colados às costas. Sensações do outro mundo que nos fazem realmente pensar quem faz falta na nossa vida.

E se faz. E se fazem.
Ele é um misto de céu e de mar. Revejo-o em todas as nuvens que passam como quem guarda memórias que se escondem à flor da pele quando está longe. Sinto a sua falta, como quando olho pela minha janela e o vejo ao fundo, sem poder molhar os pés e sentir o seu cheiro.
Ele é um misto de amor e de ódio. De frio e de quente, de amor e saudade…

Ele faz-me bem e tanto mal.
Eles são iguais e fazem-me falta.  



quarta-feira, abril 3

voltas e voltas

Não troques aquilo que tens por aquilo que desejas, é uma das normas que deve legislar a nossa vida em muitas ocasiões. Arriscar nem sempre é sinónimo de ganhar, mas estar quieto pode significar não perder o que se tem. Se ambicionas melhor, faz do que tens o que queres e não partas sem certezas à procura do incerto.
Porque o incerto nunca é certo, e é isso que faz a nossa vida dar muitas voltas.

Isto ajuda-me a ponderar muitas das atitudes na minha vida e acredito que se muita gente pensasse como eu, não estava a esta hora a chorar pelos cantos por aqueles que ama e deixou por uma aventura de meia noite sem pés nem cabeça. Na verdade, nem tudo o que luz é ouro. Contudo, as pessoas gostam cada vez mais do prático, do "toma lá já está"e depois lixam-se. 
E sabem que mais? É bem feita! 





 Prometo que vou tentar tirar um tempinho para arranjar umas fotos com melhor qualidade.


"Cabras"


Gosto de me sentar deste lado a observar a estupidez feminina. Observa-se muita coisa deste lado; sim, aqui, onde ninguém me vê e eu vejo todo o mundo.
Tem piada o facto de se auto-denominarem de cabras quando ofendem terceiras com o mesmo nome. Será que não percebem que a palavra é como um pau de dois bicos? aquilo que aponta para certa coisa está, inversamente, a apontar para sí mesma.
Por isso, não ofendam. Todas as mulheres sabem que quando difamam outra isso tem duas razões: medo ou inveja. Mas se o objectivo for mostrarem os seus podres, cabras com falta de nome é o que não falta por aí!

Patrícia Luz

Estou a relembrar alguns textos que escrevi à uns tempos noutros blogs meus. 
Facebook :)


terça-feira, abril 2

Pulso Firme

Há que manter o pulso firme quando tudo nos leva a desrespeitar as nossas convicções. Por vezes o desejo é traiçoeiro e se não lhe impusermos regras quando damos por nós já estamos a pisar o bicho, aquele que nos dizia baixinho que o caminho era em frente quando tudo aquilo em que acreditamos nos faz tremer as pernas, pensar duas vezes e tomar decisões temperadamente impulsivas.. que achamos certas mas que nos podem lixar drasticamente a vida, para sempre. 
Por isso, espera. Conta até três..
 Conta até três e espera; espera que a brisa que te trouxe os desejos os leve com ela.
Fecha a porta aos desejos, o coração agradece.

Patrícia Luz


A partir de hoje para que haja feedback entre mim e todos vocês deixo-vos a minha página fresquinha no facebook. Sempre que houver novidades informarei-vos por lá. Talvez seja desta que venha para ficar :)