sexta-feira, abril 12

Façam-me um favor: sejam felizes hoje.

Nós somos uns atrasados mentais com a mania que sabemos tudo sobre a vida. Falo por mim. Falo por mim para não meter o vosso nome ao barulho em vão. Porque na verdade eu acho que somos mesmo todos uns atrasados. Deixamos tudo para depois. Tudo o que podia ser o mais importante naquele momento para nós ou para os outros. O beijo roubado, as desculpas pedidas - quando o devem  ser -, o abraço com que se sonhou acordado na noite anterior quando deitámos a cabeça na almofada e o sono nos deu tréguas, o telefonema que ansiávamos receber mas que não fomos capaz de fazer, o orgulho a cima de todos os sentimentos, a vingança primeiro a compreensão dos actos depois... que merda! Será que ninguém é capaz de viver com os pés assentes no presente? No presente! Sem pensar no antes nem no que virá a seguir? Fazer tudo o que nos passa pela cabeça no momento. Beijar, abraçar e pedir desculpas. Dizer que não se gosta, que se adorou e que se quer mais! E ter mais! Ali, aliás, aqui! Aqui e Agora!

Ás vezes é bem feita que ela nos pregue umas partidas para nos mostrar quem manda. Nessa altura surgem os remorsos. "O que poderia ter feito" "O que devia ter dito" "O que ficou por dizer"... A vontade que ficou de algo que passou e não volta mais. 
Por isso, façam-me um favor, sejam felizes, hoje!



Queria deixar um especial beijinho de Parabéns à minha prima Mónica com votos de que a vida lhe sorria tanto como nós sorrimos hoje. Porque tudo o que quisemos fazer, não deixámos para amanhã. E a vida é isso, mesmo com atrasadas mentais como nós.





1 comentário:

  1. Podes meter o meu nome à vontade que te garanto que não é vão, é exactamente como tu disseste. Mas para mim, o pior dos remorsos vem depois dos que descreveste, os "o que podia ter acontecido", "o que podia ser diferente" e "o que não precisava de ser assim".
    Porque às vezes o medo das consequências no futuro são superiores às vontades do momento.

    ResponderEliminar