terça-feira, junho 11

Espanhóis

Se há coisa com que não vou muito à bola é com Espanhóis. Esses a quem chamam de irmãos e a quem eu prefiro chamar de bastardos. Irritam-me. Aquela voz estridente idêntica à de uma cana rachada a chilrear como pássaros em sofrimento tira-me do sério. Especialmente quando os oiço falar, aliás, gritar, assim por terras nossas, como se fossem os donos de tudo o que os rodeia e actuando como tal. Mais ainda quando se fazem de burros - Se é que não são mesmo! - quando tentamos falar com eles e se limitam a pontapear um "no entiendo" com três facas na mão e já de costas voltadas. Raios os partam!   
E sim, estou a falar de Espanhóis enquanto nação. Preferi não me cingir ao sexo feminino para não ter que utilizar palavrões em bom português para colocar algumas no sitio que merecem, dadas as minhas experiências menos agradáveis. 
Já dizia a minha avó "De Espanha nem bons ventos nem bons casamentos". E como todos os avós, tinha razão, pelo menos, eu acho. Não são flôr que se cheire. As únicas boas recordações que tenho lá daqueles lados devo-as ao meu irmão. Talvez ainda se lembre quando nos entretemos a roubar gelados do buffet daquele hotel top em Granada para esconder no frigorífico da suite, substituindo assim o abacaxi que la estava pelo qual pediam uma fortuna. Sempre deu para matar a fome que aqueles ovos mexidos nojentos, que se encontravam a nadar numa piscina de óleo, não mataram ao pequeno almoço. 

Na verdade nunca fui com a cara de gente de nariz empinado, que grita mais do que o que falam, egoísta, rude,  mal educada e pouco afável. Talvez seja por isso...



Peço desculpa se generalizei demais.
Ainda tenho os braços abertos para conhecer alguém de nacionalidade espanhola que me faça mudar de ideias.  

Patrícia Luz


2 comentários:

  1. Realmente generalizaste bastante, mas compreendo que seja difícil não o fazer tendo a opinião que tens. Mas é também um risco escrever um texto assim num blog, pode não cair bem a todos os teus leitores. É um risco e tu tomaste-o.

    Concordando ou não, não deixo de gostar do teu jeito de escrever.

    ResponderEliminar
  2. Tem razão. Na verdade ponderei o que disse antes de o escrever. Mas a verdade é que este sempre foi um espaço onde escrevo o que penso de verdade; nunca o fiz para agradar a ninguém.

    Muito obrigada pelo conselho, era assim que gostava de ter por cá mais comentários.
    Patricia luz

    ResponderEliminar