quarta-feira, outubro 30

Perdoar uma traição

Homens e mulheres à volta da mesa, a conversa chega ao perturbante tema das traições. É possível perdoar? É possível esquecer? É possível uma relação sobreviver depois de um, ou ambos, terem sido infiéis? Há quem ache que sim, mas eu, que sou pessimista por natureza, acho que não. Para mim, é impossível esquecer, uma traição é um dano tão grave que nunca se apaga da memória. Os traídos, sejam homens ou mulheres, sentem-se humilhados, insultados, substituídos, e mesmo que amem a pessoa que os traiu, irão sempre recordar aquele dia em que foram os últimos a saber que estavam a ser encornados e o chão lhes fugiu debaixo dos pés. Nasce a raiva, não só à pessoa que nos traiu, mas uma raiva que se estende ao sexo todo. Mulheres traídas passam a odiar os homens, aquele e todos os outros; homens traídos passam a odiar as mulheres, aquela e todas as outras do mundo. Alguns nunca recuperam e tornam-se azedos. Em certas circunstâncias, dependendo da idade das pessoas, da importância que dão à família e aos filhos, pode tentar-se reconstruir a relação, e há casos em que isso se consegue. Mas a mim parece-me uma intenção impossível. Acho que a perda de confiança é irrecuperável, quem nos mentiu uma vez pode mentir a vida toda, e se aceitarmos essa situação estamos a enviar a mensagem errada ao traidor. Quem perdoa e continua, está a convidar os traidores a traírem mais outra vez. Quem trai e escapa impune, sente sempre um sentimento de orgulho individual, de auto-satisfação, e um dia voltará a sentir a mesma tentação. Não se aprende com os erros, aprende-se é a errar melhor, e assim quem traiu refina-se, torna-se ainda mais inteligente e volta a trair diminuindo as possibilidades de ser apanhado. Os seres humanos são assim, não há volta a dar-lhe. Além disso, existe nos traídos uma vontade de vingança que é uma bomba-relógio para o futuro. A vingança é muitas vezes uma necessidade, a única forma de recuperar a auto-estima perdida, e começa então o ciclo das traições. Ele traiu, depois traiu ela, ou ao contrário, e a história nunca mais acaba. Mais vale cortar o mal pela raiz e seguir em frente. Com a facilidade com que hoje se arranja outra pessoa, para quê ficar com quem nos traiu?, in Dias Cães

E é isto. Se durante muito tempo fui apologista da luta incondicional pelo amor, hoje mudo a minha visão face ao assunto. Onde habita o amor jamais há lugar a descuidos temperamentais, a desculpas para a falta dele. Essa coisa da monotonia, da rotina das relações, do hábito, da conformidade, do "tu já és meu de qualquer das formas" não pode, nem é, nem pode ser, desculpa aceitável para que alguém tenha o direito de arruínar a nossa essência, abalar a nossa auto-estima e ferir o nosso ego. Há que aceitar que o amor, pelo menos por instantes, foi morto pelo desejo de querer mais do que aquilo que se tinha. E deixem-me que vos diga, um amor morto por instantes é das piores coisas que se pode querer viver no futuro. 
Nada voltará a ser igual. Acreditem.
Por tudo isto, façam como eu, amem-se a vocês próprios. Esse é o amor mais fiel das nossas vidas.

Patrícia Luz



















quinta-feira, outubro 24

Não posso escrever

Não posso escrever. E ainda bem... 
Não posso escrever. Queria poder fazê-lo..
Não posso escrever. Porque é indescritível..
Não posso escrever, porque é bom

Não posso escrever... mais.




segunda-feira, outubro 21

Mil e nenhuma coisa



Meiga, tranquila, receosa, serena, maravilhosa, terna, amiga, conciliadora, silenciosa, resoluta, desconcertante, independente, baralhada, delicada, fraterna, amorosa, pura, misteriosa, confusa, abalada, sincera, amada, insuspeita, resignada, leve, mobilizada, encantadora, compreensiva, contagiante, determinada, amargurada, alegre, interessada, optimista, arrebatadora, reconhecida, sonhadora, iludida, incompreendida, piedosa, vaidosa, obstinada, formosa, impassível, receptiva, hesitante, sofrida, sensual, morena, preocupada, bonita, persuasiva, doce, suave, franca, sorridente, persistente, magoada, atenta, curiosa, precavida, só, esperançosa, delicada, irritada, risonha, melancólica, livre, irreverente, atenciosa, tensa, compenetrada, nobre, grata, bela, querida, desprendida, deliciosa, bondosa, rebelde, desorganizada, sentimental, confiante, irónica, comovida, imperativa, elegante, púdica, galante, escrupulosa, divertida, valente, dolente, caprichosa, esforçada, sedutora, aventureira, imperial, solidária, provocante, fugida, impressionável, esbelta, madura, lânguida, triste, dócil, simpática, vulnerável, eloquente, assustada, emocional, frágil, adorável, afectuosa, solícita, surpreendente, conscienciosa, forte, tímida, solitária, jovem, emocional, sigilosa, cativante, justa, assombrosa, calma, zelosa, apressada, corajosa, única, amada, inspirada, abnegada, leal, jovial, barulhenta, melodiosa, lúcida, caridosa, temerosa, distraída, linda, renitente, irredutível, ponderada, exuberante, orgulhosa, graciosa, gentil, charmosa, bondosa, ardente,
FELIZ


Há coisas inexplicáveis não há?
Quando se tem muita coisa, há sempre alguma em falta. Pensem nisto... 

terça-feira, outubro 15

Reticências

É estranho. É bom... 
Sabe bem esta liberdade amarrada. Controverso, não? Ás vezes somos só nós a pensar na nossa vida, outras a imagina-la completa com o que falta, que na verdade é muito pouco, mas faz toda a diferença, talvez. Talvez porque aparentemente não tem feito, talvez porque de vez em quando há um friozinho na barriga que nos prende a alguém que nos desperta interesse. E como isso é raro, para mim, "talvez" é a medida certa. Se é que é preciso medida... 
Na verdade, não ter medida é a medida certa. Passamos tanto tempo a pesar atitudes para não magoar quem faz(ia) falta na nossa vida e afinal de contas, algumas dessas pessoas fogem-nos das mãos de livre e espontânea vontade, que na verdade é mesmo isso, não ter medida é a melhor solução. Dar e esperar que volte, se tiver que voltar. Não ter grandes expectativas,  mas não deixar nada por dizer, nem nada por fazer. Os sentimentos existem para viajarem de pessoa para pessoa, não para serem amarrados e amordaçados como se tivessem que cumprir pena suspensa injustamente. A vida é cruel, o amor mais ainda. Ou então não...
Há um dia em que nos fartamos de beber limonadas. E que sorte...! A altura das laranjas pode estar a chegar e o mundo vai mudar. As pessoas não; a história fica para sempre. Mas também continua... 
A parte boa da vida é poder escrever sempre mais uma linha. E outra, e outra, e outra... 
Sabe bem: sabes bem.

«Tudo a seu tempo tem o seu valor»

Patrícia Luz
15 de Outubro 2013, ao som de John Legend.




quarta-feira, outubro 2

«Fica»

Fica - dizia.
Fica mais um pouco, a noite inteira talvez. Até ser dia...
Vai, se tiveres de ir. 
(Fica.)
Fica.

«Fica» é talvez a palavra mais complexa que conheci nos últimos tempos. Consigo encaixar-lhe o universo das palavras inventadas e mais algumas. Mil e um sinónimos e significados.
Fica. Fica Comigo, fazes-me falta, és boa companhia, preciso de ti, fazes-me sentir bem; Fica, não vás, não me deixes só, só mais um bocadinho... Tantas coisas. Tantas coisas em quatro letras. 

«Fica», naquele tom de suplico despreocupado de quem diz "vai" mas "não vás", é das palavras mais bonitas que entrou no meu dicionário nos últimos tempos. No fundo, tem mais amor (carinho, amizade, cumplicidade, ternura, intimidade...) do que a palavra amor que, com iguais quatro letras, tem vindo a matar a felicidade humana ao invés de ganhar a força infinita de construir a maior tristeza que é amar de lágrima no canto do olho e coração a transbordar de borboletas todos os dias da nossa vida.

(Nos últimos tempos..)
Eu deixei de gostar do «amor».
Eu amo o «fica», agora.
Sem horas, sem minutos, sem sentimentos.. (nem que seja) em silêncio.

Patrícia Luz
ao som de Ben Howard.