domingo, novembro 3

O homem ideal

Estou farta de ouvir falar em príncipes. Que teorias da treta que as mulheres arranjam para dizer que querem um homem que as ame a preceito. Se ser príncipe fosse um padrão, iam-me dizer o quê, que gostavam que os homem fossem todos iguais?
Bem... sempre se invertiam as tendências, o que já não era nada mau. 
O homem ideal está longe de ser um príncipe. Primeiro porque os príncipes de verdade são homens de carne e osso e por isso erram e tem defeitos à flor da pele, e depois porque ninguém vai querer roubar à gata borralheira ou às outras todas semi-princesas aquele que fez tanta gente chorar em tenra idade os finais felizes para sempre que, em boa verdade, tendem a extinguir-se. 
O homem ideal é outra coisa. E tantas vezes o "outra coisa" comporta tantos erros e defeitos, que só por isso já teríamos que inventar uma palavra para designar aquele que nos preenche a alma, pelo menos naquele momento.
O homem ideal não precisa de ser rico. Desde que seja uma rica coisa nós já nos contentamos. Não precisa de falar mil línguas e conhecer os melhores lugares do mundo, desde que nos saiba dizer em bom português tudo o que sente no sitio certo à hora certa. Não precisa de ser bonito: se todos os seus poros respirarem beleza, vai-nos interessar o quentinho do coração e não o verde dos seus olhos. É humilde e atencioso. E querido, e inteligente, e misterioso, e sincero em todas as palavras porque o olhar translúcido não o deixa mentir. É surpreendente e desafiante. Educado e carinhoso. Fiel e de confiar. É ouvidos, e olhos e boca; é corpo e alma. É mensagem de bom dia e beijo de boa noite; é surpresa a meio do dia. É camisa branca e calça preta; e perfume inconfundível. É amigo antes de qualquer outra coisa. É amor antes de o ser.
O homem ideal é assim: não precisa de mostrar que é melhor que todos os homens à face da terra, porque se for mesmo o homem ideal.. bem.. se for mesmo o homem ideal mais nenhum precisa de existir. 

Se fores tu, fica.

Patrícia Luz
3 de Novembro de 2013







2 comentários:

  1. Não há príncipes nem princesas, existe sim pessoas com um conjunto de qualidades que nos interessam mais que outras! Bom texto :)

    ResponderEliminar
  2. Identifico-me tanto nas tuas ideias...

    ResponderEliminar