sexta-feira, agosto 1

Ao meu futuro marido

Ao homem com quem me quero casar.


(...)
Não precisa ter um metro e oitenta, olhos verdes e ser esculpido a proteína como a maioria dos que se vêem por aí. Não me interesso por armários com pernas, muito menos por modelos sem agência. Quero apaixonar-me por um homem de carne e osso e coração no sitio. Cabeça também, por favor. Tudo isso num só ainda se desculpa. Mas é raro; por isso o melhor é descartar a ideia.
As mulheres - mulheres: note-se - são parvas mas não são estúpidas.

Quero apaixonar-me por um homem trabalhador. Não por um homem rico. Porque um homem trabalhador poderá ser a maior riqueza que temos ao nosso lado, a lutar connosco contra as adversidades e por um futuro melhor. Um homem rico não. Um homem rico nem sabe o que são adversidades. Um homem rico pode ser tão rico que apenas tem dinheiro. E eu prefiro ser pobre, mas rica de amor pelo homem da minha vida.

 O homem com quem me quero casar é educado, poupado, inteligente, ambicioso e gosta um tanto ou quanto de números. De negócios. Gosto de homens de raciocínio fino. Perspicazes e Idiotas simultaneamente. Daqueles a quem não é preciso explicar tudo tim tim por tim tim para perceberem onde queremos chegar. Os que entendem o gesto que ainda não terminámos e as entrelinhas do que não dissemos. Que fale inglês e me possa dar umas aulas; ou que se inscreva comigo no wallstreet

O homem com quem me quero casar é verdade dos pés à cabeça. Fiel nos bons e nos maus momentos. Melhor amigo a cima de tudo, em todas as ocasiões. O homem com quem me quero casar vai abraçar-me a meio de uma discussão quando souber que não tem razão em vez de sair porta fora e nunca mais voltar. Vai sentar-se do outro lado da mesa e falar abertamente sobre tudo o estiver mal e tentar estruturar soluções. Porque um homem a sério não abandona o barco no meio da tempestade. Um homem a sério pede desculpa e diz obrigada. Diz que sim e que não quando tem que ser.

O homem com quem me quero casar vai ter olhos na cara e apreciar as mulheres mais bonitas do planeta que passarem por nós na rua. Mas nesse momento vai apertar-me a mão com força e sorrir com ar de palhaço ninja e fazer-me perceber que o planeta sou eu e estou a seu lado.  

O homem com quem me quero casar adora crianças. Crianças e animais. Vai querer ter um monte de putos a correr pelo jardim. Vai rebolar com eles na relva e ensinar-lhes a fazer surf, a jogar futebol e a fazer castelos na areia aos domingos à tarde e todos os dias da sua vida. Vai querer ter um labrador ou um pastor alemão à sua espera quando sair do trabalho e cuidar dele como se fosse família.   

O homem com quem me quero casar vai usar fato cintado durante o dia, quase todos os dias da semana. Vai chegar a casa a correr de maça na boca e fugir de prancha de baixo do braço e chinelo no pé. Vai ser jovem até ser velho. Vai adorar a ideia de me ter sentada na areia, com o sol já posto à espera de um beijo salgado no frio do entardecer de inverno ou no calor nas solarengas tardes de verão. Vai levar-me com ele para dentro de água com o seu grupo de amigos, cujas namoradas resmungaram no dia anterior por terem sido trocadas pelo sweell do momento, especialmente nos dias nublados em que todas anseiam pipocas e cinema.

Vai-me dar beijinhos na testa no final do dia. Abraçar-me quando fizer frio e sussurar-me coisas no ouvido. Segurar-me o cabelo quando me beijar. Aquecer-me os pés, o coração e a alma. 

Eu quero um homem que viva. Viva muito. Que adore o mar. Que não viva sem música. Que leia. Que não seja vidrado em futebol e de preferência que seja do Benfica para nos podermos chatear de vez em quando. Que não fume, muito. Cinzeiros é um adereço que não vai combinar com a minha (nossa) casa.

O homem da minha vida vai ter sempre bateria no telemóvel. E quando não tiver vai saber o meu numero de cór e ligar-me de uma cabine telefónica do outro lado do mundo só para dizer que está bem. Para saber se estou bem. Vai confiar em mim, sempre.Vai-me surpreender em dias inesperados sem gastar dinheiro em prendas supérfluas pois vai saber que prefiro momentos grátis. 

Vai ter planos. E sonhos. E objectivos.
Vai-me incluir em todos.

O meu futuro marido vai ser o homem da minha vida, o pai dos meus três filhos, o meu melhor amigo, o meu abrigo, o meu abraço apertado, o meu beijo de boa noite, o meu mar que tanto me inspira e uma das principais razões pelas quais vou sorrir todas as manhãs ao acordar por poder ter a sorte de o ter comigo. Aliás, de nunca o ter. Porque o segredo é mesmo esse. 

Por tudo isto, talvez nunca me case.  
Quem sabe?

Patrícia Luz
2 de Agosto de 2014
ao som de Agir.

Facebook| Instagram | Tumblr 


4 comentários:

  1. casava-me contigo, simplesmente. Fantástico

    ResponderEliminar
  2. Adorei, Patrícia! É um texto lindo, como já é de esperar de ti :)
    É especial sobretudo porque fala do que é mais importante e, de entre todas as frases que me fizeram acenar com a cabeça em sinal de concordância, eu destaco a "Um homem rico pode ser tão rico que apenas tem dinheiro. E eu prefiro ser pobre, mas rica de amor pelo homem da minha vida."
    Fez também lembrar-me da sorte que tenho em ter a meu lado o rapaz/homem que tenho. Com certeza que um dia também tu encontrarás o teu futuro marido, com tudo o que desejas e um bocadinho menos, porque senão vai parecer encomendado e isso não tem graça :)

    Beijinhos!
    PS - Já estamos na casa nova, quando vieres cá comunica!

    ResponderEliminar
  3. Muito bom texto!
    Ri-me com o "Que fale inglês e me possa dar umas aulas" =)
    Continua a escrever

    ResponderEliminar