quinta-feira, junho 4

Lembrem-se




« .. E tu és uma mulher demasiado mulher para seres menos do que isso.»


Já me pediram para mudar. Para fazer tudo ao contrário daquilo que penso. Que a vida me iria começar a correr bem quando assim fosse. Que as relações falhadas eram fruto da dedicação em excesso. Que o desinteresse era necessário. Que o abandonar o barco é obrigatório quando existe o primeiro buraco. Já me disseram que para filho da mãe devemos ser filhos da mãe e meio. Que é preciso virar as costas e passar a tristeza sempre à frente. Já me disseram que escolhi sempre as pessoas erradas. Quem mo disse já se apaixonou por mim. Já houve pessoas a dizer que quem se apaixonou por mim também estava errado, porque o ciclo tinha que recomeçar e iria aparecer a pessoa certa. Como quem diz que era quem mo estava a dizer. E não foi. 

Já me disseram que era a mulher digna de uma vida. Que nunca iriam encontrar igual e que nada me têm a apontar. Já me agradeceram o bem que lhes fiz e pediram desculpas pelo mal que me fizeram. Que erraram. Que eu não merecia. Que mereço o melhor ... E a história acaba assim.

E repete-se. 

O que vos quero dizer é que o que me disseram ficou na vossa boca mas nunca nos meus ouvidos. E que o melhor para mim eram vocês, em cada momento distinto da minha vida. O que vos quero dizer é que perderam uma Mulher. Que dizerem a uma mulher que ela é uma mulher a sério não lhe acrescenta nada. Não a faz mais feliz. Não faz com que lhe nasçam borboletas na barriga nem que o sorriso abra na cara. Não a deixa descansada por saber que não errou convosco. Não faz com que saiam de fininho de mãos lavadas e história com final feliz. Porque as mulheres a sério sabem perfeitamente o que valem. Não precisa de vir um tipo que nem se considera o melhor que uma mulher a sério merece, vir-nos dizer isso.   

O que vos quero dizer é que o amor não é um jogo do gato e do rato, nem do toca e foge. Isso é uma treta qualquer a que não dedico sequer tempo para lhe dar nome. Amor não é engolir palavras quando queremos dizê-las. É querer consumir a outra pessoa toda. Não é esconder sentimentos para que a outra pessoa não fuja a sete pés com medo das consequências. É fugirmos com a certeza que a outra pessoa virá atrás. Amor é dar. É dar, dar e dar... sem nunca desistir, sem nunca pedir nada em troca a não ser amor de volta.

Peço desculpa se dei sempre demais. 

O que vos quero dizer é que vos desejo sorte.
Lembrem-se que um dia, além de terem perdido uma mulher, perderam uma Mulher a sério que vos amava com tudo o que tinha. 

Patrícia Luz
5 de Junho de 2015

                                                                                                      nstagram | Tumblr | Youtube

Sem comentários:

Enviar um comentário