sábado, abril 23

Quinta do Lago, Algarve, Portugal

Fotografias por João Santos - http://www.theglamlifediary.com/












Nem sempre há tempo, nem sempre apetece, nem sempre sai alguma coisa de jeito mas, sobretudo, nem sempre temos alguém que partilhe do mesmo gosto e paciência para nos fotografar. Mas hoje foi o dia de virar as luzes da ribalta para mim e ninguém melhor que o meu querido João para tratar disso. 

Quantos namorados há por aí a não poder ouvir falar em blogs? E mães, em fotografias? Ter amigos a partilharem do mesmo gosto que nós é uma dádiva caída do céu. Garanto.

Há um ritual que todos nós bloguers temos que é dificil de explicar. 
Ser bloguer é muito mais do que vomitar uma série de fotografias e textos para aqui e esperar que alguém goste. Ser bloguer exige tempo. Muitoooooo tempo. Paciência. Mas, mais do que isso, uma valente dose de amor por aquilo que fazemos. Uma valente dose de amor em tudo o que fazemos.

Estas fotos são uma prova disso.
Passámos a tarde nisto. Música, carro, maquina fotográfica, tripés, objetiva, ACÇÃO!
O tempo pára sabem? É quase como fazer desporto. Nada mais importa naquele momento.  

Quase todos os bloguers têm uma coisa especial em comum: o interesse por algo na sua vida. E melhor que isso, o interesse de o partilhar com alguém. Só isso já é uma grande coisa. 

Há tantas pessoas a querem exprimir-se sem conseguirem. E tantos bloguers a escreverem por elas o que sentem. Há tantas fotografias que gostávamos que os nossos olhos captassem por instantes e tantos bloguers a captarem-nas mesmo. Há tantos sítios no mundo que gostávamos de visitar, e alguém os traz  até nós sem que tenhamos de sair do sofá. Há tantos doces fáceis de fazer em casa e nós cheios de desejos ao Domingo à tarde porque a pastelaria do lado está fechada e não os sabemos fazer. Há tantas modelos sem agência, com um sentido de moda que nem os estilistas mais conceituados conseguiram atingir. E há a blogosfera que têm tudo isto e muito mais, porque cada uma das pessoas com um interesse especial não o deixa morrer na sua cabeça.

Hoje quero deixar um obrigada a cada uma dessas pessoas. Porque se formos a pensar bem, é cada uma delas que faz o mundo girar. 

Porque não baixam os braços para manter os seus interesses actualizados. 
Porque têm sonhos e concretizam-nos. 
Porque os partilham. 




P.s. Em breve coloco as fotos mais giras.

quinta-feira, abril 21

(minha) Costa Vicentina & Anchor House



Eu disse que tinha mais novidades...

Apesar de virem com duas semanas de atraso, o que importa é que sempre cá chegaram. Tendo em conta que as más noticias correm depressa, vamos crer que as boas vêm a passo de caracol :)


Monte Clérigo
Monte Clérigo
Monte Clérigo
Praia da Arrifana



Primavera é sinónimo de passeio. E passeio é sinónimo de fugiiiiiiiiiiiir para bem longe da rotina.

O meu escape no Algarve tem duas palavras: Costa-Vicentina.
Não há como enganar!


O sitio onde o mar é mais azul. Onde as estradas não tem linhas e as rectas servem para ultrapassar as caravanas que nos vão surgindo no caminho. Onde o ar cheira a tudo, menos a pessoas. Menos a cidades. Menos a tudo o que não seja natureza.

Lá, o silêncio é dos passaros. E das ondas. E da chuva, se chover. A costa vicentina é uma peróla. Selvagem. E quase tão minha como como as quatro paredes da minha casa.


A costa vicentina pede-me sempre Ben Howard a tocar aos altos berros. Os vidros abertos e o cabelo a esvoaçar. Os pés descalços se for verão. O cabelo salgado se houver sol.


Entre a minha mão cheia de refúgios, talvez seja o terceiro ou quarto.

E como tal, visitei-o há duas semanas atrás.... desta vez com um pretexto tão bom, que não queria deixar de vos contar : A "Anchor House". 









A Anchor House é o mais recente projeto de um grande amigo meu, o João. Apaixonado pelo surf e pela Celine, ambos encontram-se a criar este acolhedor espaço para receber todos aqueles que tenham curiosidade em conhecer esta pérola de que vos falo, que é a costa vicentina, nomeadamente o Vale da Telha e, mais conhecida, a praia da arrifana.



Com a aposta em materiais reciclados e 100% feitos à mão, o João e a Celine têm trabalhado para fazer com que aqueles que os visitam se sintam em casa e possam desfrutar da paz em que a sua Guesthouse está inserida.


Eu adorei!

O amor com que tem feito cada uma das coisas transparece a olhos nús.
Quem me conhece sabe o quanto gosto de decoração... e houve pormenores que tive de trazer comigo para vos mostrar!







Durante a nossa estadia, tivemos oportunidade de conhecer duas amigas Suiças da Celine que também estavam lá hospedadas e a adorar as suas férias em Portugal. E apesar de ter sido uma mixordia de temáticas e idiomas (risos), foi mesmo muito giro!
Para terem a noção elas preparam o jantar para nós.. jantámos a ver o sol baixar ao final da tarde, lá na varanda de casa e ao som dos acordes da viola. Ah! E como não podia falta... as cervejas também iam dando o ar da sua graça. 


Vila do Bispo


Com os desejos com que andava de comer percebes, não podia ter perdido esta oportunidade para mataaaar as saudades. De regresso, fizemos uma paragem na Vila do Bispo para almoço e este arroz de tamboril estava divinal.

Cordoama
Sagres
Miradouro da Cordoama


De praia em praia, passando pela cordoama, castelejo, tonel, beliche, entre outras... chegamos até ao forte de Sagres e assim terminámos a nossa rota. Segunda-feira estava à porta... e embora custe a crer, era hora de regressar a casa.


este é sem dúvida mais um roteiro que recomendo para um fim de semana longe de tudo, mas perto da paz da natureza!

Afinal de contas, para quê conhecer o mundo, se não conhecemos os cantos à nossa casa? :)


Beijinho grande,

terça-feira, abril 12

Special Morning by Passeios da Ria Formosa

Há uma semana que anseio poder contar-vos como foi uma das minhas manhãs de sábado maaais felizes de sempre, ou pelo menos que me lembre agora. A verdade é que quem me acompanha pelo instagram  sabe que não tenho parado um segundo e só agora consegui vir cá contar-vos as novidades.
E não vão ficar por aqui... porque tenho muitooo mais para vos contar!  




Mas nunca é tarde. 
Nunca é tarde para acordar cedo e viver a vida. 

Nunca é tarde para trocarmos a cama pelo frio do vento a bater-nos na cara, nas mãos, a fazer-nos esvoaçar o cabelo e a deixar que não nos sintamos de maneira nenhuma, só para que saibamos o sabor de um abraço apertado. 

E foi mesmo assim, num abraço apertado, que saímos num dos barcos do Ricardo Badalo e nos deixámos levar para além de meia dúzia de milhas da costa da barra da Fuseta, no Algarve.

Não queria perder a oportunidade de escrever ALGARVE com letras maiúsculas para poder uma vez mais evidênciar como o nosso país é de uma diversidade paisagistica enorme, onde é possível fazermos tudo aquilo que muitos pagariam imenso para poder ter. Um Algarve desconhecido que só os que cá vivem sabem apreciar e dar valor. Um Algarve fora das luzes da ribalta e onde se respira mar e amor. 

A pouco e pouco o sol aquecia-nos as mãos e a alma.

A água translúcida deixava-nos avistar alguns cardumes de cavalas enquanto reflectia o sol e, à medida que nos fomos afastando da costa, .... os golfinhos! GOLFINHOS! Muitoooos e felizes à volta do nosso barco. Uns aos saltos, outros desafiando a nossa máquina fotográfica e ainda os que estavam tranquilamente na sua vida a caçar alguns peixinhos para o pequeno almoço.  

Como vos explicar esta sensação?
É como voltar aos aos cinco anos de idade. Eufórica e feliz sem limites! 

Deixo-vos um pequeno video que fala por mim tudo o resto. 





Não posso deixar de recomendar este passeio a todas as pessoas que visitem o Algarve. É sensacional a forma como nos sentimos. Como é possível vivermos tão perto desta maravilha natural e existam pessoas que nunca a tenham oportunidade de ver? 
Visitem o site dos Passeios da Ria Formosa e marquem já o vosso, pois há cerca de 95% de hipóteses de encontrarem golfinhos e viverem estes momentos únicos.

Fico à espera que me contem como foi! 

E nunca se esqueçam, a felicidade só depende de nós, 

Um beijo,