quarta-feira, março 19

O amor é mesmo isso

Sabes que fizeste merda quando deixaste o coração comandar a cabeça e escreveste aquilo que não devias. Quando matutas nisso dias a fio. Te martirizas a ler aquilo que pensaste, que disseste, que sentiste.. naquele momento pouco forte da tua sanidade mental. Que não querias ter dito, embora quisesses muito que se soubesse. Que apesar de gostares, não devias. Que sabes que não devias - o pior de tudo ainda é isso, é saber que não devias. Porque te faz mal, quando gostavas tanto que te fizesse bem. De que te queres livrar como quem amarrota uma folha de papel e a atira ao lixo no mesmo instante em que escreve um erro na primeira linha. Mas que no fundo querias abraçar com força e não deixar fugir mais, porque essa podia ser a primeira palavra do resto da história. Desta história sem história; ou dessa história sem fim. Sabes que fizeste merda quando não fizeste merda nenhuma e te encontras a encontrar explicações para nada.
Redundante, não achas? 


Confuso. O amor é mesmo isso. 

Patrícia Luz
19 de Março de 2014



1 comentário:

  1. "Que não querias ter dito, embora quisesses muito que se soubesse. (...) o pior de tudo ainda é isso, é saber que não devias." Esta fase do amor é amarga... Que fosse sempre o amor e uma cabana, mas daríamos o devido valor ao amor? Não sei...

    ResponderEliminar